Como superar uma traição

Uma vez, uma mulher que tinha acabado de descobrir que o seu marido a tinha traído por muitos anos, numa das nossas sessões fez-me uma excelente pergunta.

Ela perguntou-me: “O meu marido já me pediu desculpa 100 vezes, deixou de estar com a amante e está comprometido em ser um homem diferente. Eu vejo que ele mudou. Mas não seria melhor eu me divorciar dele e começar de novo com outra pessoa?”

Eu entendi o ponto de vista dela, claro. Neste momento há muita dor, desconfiança e uma série de feridas para curar. Será que faz mais sentido começar de novo com outra pessoa?

A maioria das vítimas de infidelidade acredita que estarão mais seguras num relacionamento com alguém que nunca as traiu ou magoou. Eu entendo completamente esse sentimento. No entanto, o OPOSTO pode ser verdade.

Neste caso descrito em cima, parece que o marido realmente mudou. E eu vi muitas pessoas a mudar depois de receberem o chamado “quero um divórcio”. A menos que seu parceiro seja um mentiroso patológico ou um sociopata, a probabilidade é MENOR que cometa o mesmo erro novamente. Em outras palavras, quando o seu parceiro aprende a lição, fica menos vulnerável a cometer o mesmo erro do que alguém que nunca errou dessa forma antes.

Esther Perel, uma especialista em infidelidade e relações, diz que embora a infidelidade se tenha tornado um dos principais motivos de divórcio, um grande número de casais mantém-se na relação apesar do caso extraconjugal.

Segundo ela, na verdade depois de um caso extraconjugal acontece uma espécie de divórcio. Dá-se o fim do primeiro casamento. E resta saber se estão dispostos a criar um segundo casamento juntos.

Faz-vos sentido e precisam de ajuda a ultrapassar uma traição? Contactem-nos. O nosso serviço de Divã Virtual é gratuito.

Compre o livro “(IN)FIDELIDADE – Repensar o amor e as relações” de Esther Perel aqui.