“não planeio deixar de amar-te nunca.”

“Ainda estás tão atraído por mim como quando começamos a namorar?” Perguntei ao meu marido enquanto estávamos os dois deitados na cama uma noite.

“Ainda mais”, disse ele, virando-se para mim e descansando a mão na minha bochecha.

“Eu suponho que temos mais três anos até que a crise dos sete anos aconteça”, disse eu, meio na brincadeira, meio a sério. “Embora eu pense que é um mito. Não é?”

“Eu não sei se acredito em qualquer um desses estereótipos sobre relacionamentos”, disse ele, abraçando-me. “Mas eu não planeio deixar de amar-te nunca.”

%d bloggers like this: