Avaliação conjugal de dois em dois anos

Sinto um vazio enorme na minha vida conjugal, sinto-me sufocada. Pensar que o João dorme ao meu lado e que tenta mexer-me, põe-me doente. Rebentei, não aguentei mais, disse-lhe que assim não conseguia e que a insatisfação era tão grande que passava a vida a pensar numa coisa que nunca antes tinha pensado: o divórcio.”

“No contrato matrimonial deveria vir escrito, a letras gordas e vermelhas, que o casal era <<obrigado>> a fazer uma avaliação conjugal de dois em dois anos. Dessa forma, o casal saberia a priori que se a avaliação de desempenho fosse inferior à média, teria de estabelecer um plano com objetivos, para que a avaliação seguinte não se mantivesse a negativos.”

Concordam?

Sugestão de leitura: O diário sexual e conjugal de um casal.

Excertos retirados do livro Diário sexual e conjugal de um casal de Marta Crawford.

Office photo created by freepik – www.freepik.com